Qual é o melhor colchão?

Se entrou neste artigo com a expectativa de encontrar uma lista com os melhores colchões ou marcas do mercado, lamento desapontá-lo. Antes de perder horas a fio a saltar de site em site deve primeiro saber qual é o tipo de superfície que o seu corpo precisa.

Enquanto lê os factores que mais devem influenciar a sua decisão, tome nota dos casos que se aplicam a si.

Posição de sono

Cada pessoa tem uma forma preferida de dormir. Dormir de costas, de barriga ou de lado tem interacções completamente diferentes com a superfície do colchão. Por exemplo, se dorme de lado, os ombros, braços e a bacia serão os pontos principais de contacto com o colchão o que faz com que esses dois pontos estarão a suportar a maior parte do seu peso. Se dormir de costas ou de barriga o seu peso estará melhor distribuído o que permite tolerar um colchão com maior firmeza.

Um estudo conduzido pela Universidade de Poznan, mediu a distribuição de peso que o corpo exercia num colchão de molas e num colchão de espuma em função de várias posições de sono. A vermelho correspondem os pontos onde o corpo exercia maior pressão sobre a superfície e a azul ou branco onde exercia menos (a cabeça está do lado esquerdo do mapa e os pés do lado direito).

Posição de sono lateral em colchão de molas

 

Posição de sono lateral em colchão de espuma

Em ambos os mapas nota-se claramente que, numa posição de sono lateral, a maior pressão se verifica na anca e na área do cotovelo/antebraço. No caso do colchão de molas atinge até níveis muito elevados que comprometem uma posição cervical adequada (poderá consultar os resultados do estudo aqui).

Com base neste princípio, resumimos os tipos de superfície adequado para as demais posições de sono.

  • Dormir de Costas – Poderá considerar um nível de firmeza intermédio/baixo. O peso fica melhor distribuído do que na posição lateral mas como existe contacto direto da sua coluna com a superfície deverá considerar um colchão de látex ou viscoelástico;
  • Dormir de Barriga – Esta posição é a que tolera maiores níveis de firmeza, podendo por isso escolher colchão de mola ensacada, látex ou viscoelástico;

Claro que irá trocar de posição ao longo do sono mas geralmente a posição ao adormecer é a posição de maior conforto e inconscientemente irá sempre retomar a ela durante a noite.

Biótipo (Peso, altura e morfologia do seu corpo)

O seu peso, altura, largura de ombros ou cintura implicam níveis e distribuições de peso diferentes ao longo do colchão. Se é uma pessoa um pouco mais pesada precisará sempre de maior suporte por parte do colchão. No caso das molas esse suporte é dado pela resistência das molas, no caso dos colchões de espuma o suporte é dado pela densidade das espumas que constituem o colchão.

Tenha em atenção que os colchões de espuma habitualmente são feitos com uma camada mais fina de viscoelástico ou de látex e uma camada de suporte que constitui a maior parte do colchão. Exija sempre saber a espessura e densidades de cada camada. Considere apenas densidades acima de 50 Kg/m3 para as espumas de memória e látex e de pelo menos de 30Kg/m3 para as espumas de suporte (quanto maior a densidade melhor a qualidade) .

Não confunda densidade com firmeza! Densidade é a melhor forma de medir o nível de suporte que o colchão proporciona e a qualidade dos materiais que o compõem.

Ainda no capítulo da densidade, deverá evitar os colchões de molas uma vez que não serão tão eficazes a distribuir o seu peso ao longo do colchão, ficando com a sensação de estar enfiado num grande buraco. Deverá garantir que o colchão que escolher lhe permite manter uma posição cervical correta quando se deitar.

A forma do seu corpo também é um factor muito relevante.

tipos de corpo

Quanto mais uniforme for a sua linha (imagens 3 e 4) mais firmeza o seu corpo tolerará e menos densidade precisará. Nos casos onde existe mais largura de ombros ou bacia aí terá de procurar menor firmeza. Nesses casos privilegie uma solução de espuma látex ou de memória (viscoelástico).

 

Publicidade

Temperatura

Passar a noite com flutuações de temperatura ao longo do sono pode transformar-se num pesadelo bem desperto. A agitação, a insónia, o tapar e destapar constantes e a sensação de desconforto provocada pelo suor e consequente privação de sono são das piores experiências que existem.

O colchão pode ser o grande causador desse desconforto. Colchões com materiais de baixa qualidade não dissipam o calor deixando-o acumular na sua cama. Como o seu corpo é uma fonte constante de calor a temperatura vai aumentado gradualmente até ao ponto de desconforto. A respirabilidade aqui também é muito importante.

Procure espumas com furos que permitam ao ar circular e dissipar-se pelo colchão. Entre as espumas de qualidade o viscoelástico é alvo de algumas críticas dado que este usa o calor para se moldar ao seu corpo mas não é muito eficaz a libertá-lo. Neste sentido, entre as espumas considere os colchões de látex natural ou híbrido de gama média alta ou molas ensacadas se este é um ponto muito importante para si.

Dorme sozinho ou acompanhado?

Existem dois critérios fundamentais a considerar caso procure um colchão de casal. A capacidade do colchão de evitar a transferência de movimento e as preferências do parceiro.

Se a sua mulher ou marido se movimenta ou levanta muitas vezes provavelmente acordará durante a noite se o seu colchão não conseguir conter o efeito de vibração provocado pelo seu movimento. Aqui os melhores colchões a conter o movimento são os de látex e viscoelásticos já que conseguem conter a vibração na área de sono respectiva, seguido dos de molas ensacadas. Fuja dos de molas Bonnell, você quer um colchão e não um trampolim!

Quanto à preferência do seu parceiro, caso as preferências de cada um sejam muito diferentes, considere sempre níveis de densidade intermédios que se aproximem das necessidades de cada um. Para situações onde existe grandes diferença de peso entre os membros do casal, considere comprar dois colchões singulares e juntá-los numa cama só.

Suporte nas extremidades

Uma característica muitas das vezes desconsiderada é a qualidade com que o colchão é armado, ou seja, que tipo de suporte e uniformidade as laterais do colchão conseguem garantir. Isto é importante porque um mau suporte baixa significativamente a durabilidade do colchão e torna a superfície junto à extremidade irregular devido a afundamentos.

Se você tende a dormir junto à extremidade do colchão ou se senta muitas vezes no mesmo, deve assegurar-se que o colchão tem uma boa armação (de preferência com invólucro de espuma). Se não, uma armação metálica oferece melhor durabilidade mas o desconforto será superior. No caso dos colchões de espuma (látex ou viscoelástico) a superfície é igual no centro e nas extremidades já que se tratam de blocos unos, o que permite ao colchão manter a sua forma natural sem deformações.

suporte colchão

Já sei o que preciso mas por onde devo começar?

Se se enquadrou em cada um dos pontos anterior então já sabe que tipo de material e densidade deve considerar.

A firmeza dependerá muito da sua preferência embora aconselhamos que se mantenha num nível intermédio para não correr o risco de deformar a sua linha cervical, que deve estar sempre direita.

Defina um preço que pode pagar mas esteja ciente que um bom colchão tem um impacto enorme na sua qualidade de vida. Se existem coisas que vale a pena investir um pouco mais é no seu sono. Para além disso…maior qualidade, maior durabilidade. Se comprar um colchão de 1.000 € que lhe durar 8 anos fica-lhe a 125 € por ano. Fará melhor negócio se o colchão de 400 € que escolher lhe dure apenas 4 anos. Teria que comprar um segundo o que faria com que em média teria gasto 200 € por ano pelo mesmo período de 8 anos. Pense sempre em anos e não no valor que vai pagar hoje e tenha muita atenção à duração das garantias!

Para mais dicas de como deve proceder na loja para conseguir o melhor negócio possível clique aqui.

 

Comentários

Comente aqui